Make your own free website on Tripod.com

Hidratos de carbono


Os glúcides, também chamados sacarídeos ou cabriolarmos, são substâncias amiláceas em cuja composição entram carbono, hidrogênio, e oxigênio. são, portanto, alimentos ternários. Classificam-se em monossacarídeos (glicose, manose, levulose, galactose).
polissacarídeos (sacarose, lactose, maltose), e polissacarídeos (dextrina, goma, amido, celulose). Os monossacarídeos e os dissacarídeos dissolvem-se na água e são mais ou menos açucarados; os polissacarídeos são insolúveis.
Os alimentos mais ricos em Hidratos de carbono são os cereais (arroz, trigo, e milho, etc.), os legumes (feijão, grão-de-bico, lentilha), a batatinha, a batata-doce, a mandioca, o açúcar, o mel, o melado, a banana (principalmente a banana-ouro).
Entre os açúcares, destaca-se a sacarose (açúcar de cana ou de beterraba), glicose (açúcar de uva), lactose (açúcar de leite), maltose (açúcar de malte), frutose ou levulose (açúcar de frutas).
A celulose também pertence aos glúcides. Constitui o arcabouço dos tecidos vegetais. Forma a maioria das membranas celulares das plantas. Na digestão, exerce uma ação puramente mecânica, favorecendo a peristalse, ou seja, o movimento vermiforme, progressivo, dos músculos dos órgãos ocos, que serve para impulsionar o conteúdo alimentar para o exterior.
Os glúcides concorrem para fornecer quase exclusivamente energia ao organismo.
A necessidade diária de Hidratos de carbono, para o adulto, varia entre 300 e 800 g, conforme o peso e o trabalho da pessoa.